sexta-feira, 30 de abril de 2004

ROGER CRUZ

...E sem mais delongas, é a hora de mais uma edição do meu, do seu, do nosso...




Só dá Brasil! Mike Deodato Jr. estréia por aqui na próxima edição da revista do Hulk, em uma nova fase já consagrada nos EUA. A fera Ivan Reis também está em alta lá fora, após a sua escalação para a revista do Superman. Aproveitando esse momento favorável aos desenhistas brasileiros, vai aqui um especial sobre outro excelente artista gráfico: Roger Cruz.


O trabalho de Roger Cruz (que fez a capa de O Incrível Hulk #02), sempre teve uma bela exposição nos EUA, por conta de seus trabalhos para a Marvel, DC e, principalmente, por AQUELA capa da Victory.


Como o lado "Zéfiro" do trampo do Roger é mais discreto (claro né), grande parte das ilustrações aparecem sob a forma de commissions, experiências no Photoshop e até rascunhos. Sendo assim, vamos fuçar o lixo do cara antes que o caminhão passe recolhendo tudo. :)

Encarem como uma versão "nouvelle vague" do Coelhinhas. Tudo pela arte.
























Clique nas figuras para sua melhor comodidade visual



AH, SIM. JÁ IA ESQUECENDO...
(mentira)



Não, ainda não dá pra tirar uma conclusão 99% do novo/velho visual do morcego. No máximo aí uns 60%. Querem saber? Tô gostando muito! Ok, não estou vendo a logomarca no peito do herói, mas e daí? Se não aparecer mesmo, não vou morrer por causa disso. Bruce está em começo de carreira ali, é o Ano Zero dele. Aliás, eu até gostaria mesmo se não aparecesse nenhum símbolo. Isso provaria pela enésima vez a coragem do Chris Nolan, e que ele sim é o cara certo pra função de diretor. Chega de apostar em fórmulas pré-definidas! Para isso, já temos o novo do Aranha. O morcegão definitivamente não é pop, e todas as vezes em que quiseram aproximá-lo disso, deu merda. Vide a série antiga e os filmes do Joel Schumacher.

Já estava mais do que na hora de jogarem essa tralha toda no incinerador e recomeçarem do zero. Totalmente. Sem amarras apelativas, corporativas e sem fazer corpo-mole pra convencer o público que nunca leu uma HQ a ir ao cinema assistir. Está na hora de um filme para os FÃS, para quem CONHECE. F O D A - S E O RESTO!

Se Batman Begins for metade do que eu ando imaginando que seja...

terça-feira, 27 de abril de 2004

A CHAPA TÁ QUENTE NAS HQs!


Parece que as “atuações” de Luke Cage na Marvel MAX, e a tensão sexual constante dos Ultimates ainda estão rendendo alguns frutos. Um dos casos mais famosos foi aquela cena de sexo entre Hank Pym (o Jaqueta Amarela) e sua esposa Janet (a Vespa), na revista Avengers #76. Essa causou o maior bafafá lá fora, rendendo polêmicas sobre liberdade de expressão e distribuição de material proibido para menores. Uma gritaria sem razão, eu diria. Afora o fato de que as aventuras atuais dos Vingadores andam bem fraquinhas, essa cena em particular foi até bem feita, sem tanta apelação. Além do mais, putz... imagina você se miniaturizando e “entrando” em uma Ana Paula Arósio, por exemplo... >:)


Clique e confira a famosa "exploração sexual"

Talvez essa “libertinagem” super-heroística contemporânea tenha começado com o pessoal do The Authority, levados à cabo por Warren Ellis e Mark Millar (em Natividade). Ali, a palavra de ordem era ultra-violência, sexo e incorreção política sem qualquer tabu. Eu diria até que o Authority é um pré-Ultimates (com certeza!), só que com menos amarras editoriais.

O engraçado disso é que a 1ª influência que esses super-heróis realísticos exerceram sobre o universo normal das HQs foi justamente no que diz respeito ao sexo. Fora os já citados, ainda tiveram os casos da nova Viúva Negra (também na MAX), que sabe-se lá como, agüentou um Luke Cage (por trás ainda por cima), o Ciclope, dos X-Men, fazendo a festa com a gostosíssima Emma Frost, a putaria que anda rolando nas novas HQs dos Thundercats (pobre Cheetara), e um dos mais recentes, que foi a Mulher-Hulk recebendo um gigantesco Fanático cheio de amor pra dar. Pelo estado em que o quarto ficou depois da transa, pode-se dizer na boa que foi um sexo super-poderoso! Isso aconteceu na Uncanny X-Men #435, que saiu em fevereiro último. Considerando o “porte” do Cain Marko, acho que só a Mulher-Hulk mesmo pra agüentar.


Clique na cena pra ver mais um "pouco" do Juggy...

Tudo bem, eles bem que poderiam transpor essa influência x-rated das MAX e Ultimates da vida em histórias mais inspiradas, principalmente no caso dos Vingadores, Quarteto Fantástico, LJA e Superman, que andam bem abaixo da média ultimamente.

Mas sabem de uma coisa? Até que já estava na hora dos supers caírem na farra mesmo. Quem acreditaria num Superman hoje, todo puritano e assexuado, ao lado de uma Mulher-Maravilha gostosona e insinuante, sem nunca fazer nada? Ah tá, o Bruce pegou a amazona durante a Era Obsidiana. Só o morcegão mesmo pra honrar a camisa. :P


I was wrong, babe - 29/04
Na verdade, quem liberou a porta dos fundos pro Cage foi a Jessica Jones, da série Alias. Afe.

sábado, 24 de abril de 2004

SOBRE O ÚLTIMO TRAILER DO ARANHA

ou: “O SONHO DE CONSUMO DOS QUADRINHOS”


Diferente das reações embasbacadas que eu andei vendo por aí, resolvi analisar de forma menos passional o último (e burocraticamente eficiente) trailer do aguardado Homem-Aranha 2, que estréia por aqui em 2 de julho. Antes de mais nada, só quero avisar que um dia também fui um moleque criado à base das HQs do herói aracnídeo (e do Hulk), e sempre esperei, sem sucesso, por um desenho animado realmente legal dele. Admito que larguei o Aranha na época da Saga dos Clones (irc!) e que hoje o acompanho apenas eventualmente. Outra coisa: gostei do 1º filme, mas de forma desigual. Adorei a primeira metade e apenas curti a segunda. Ok, isso posto, lá vai teia...!


Ao contrário do que muita gente pensou, parece que o diretor Sam Raimi foi esperto em firmar o pé no lado humano do herói. E, nesse ponto, a Tia May é a maior catalisadora de emoções do Peter. No primeiro filme, houve uma certa vacilada quando a retrataram como uma personagem decorativa na maior parte do tempo.

Nas HQs, Tia May continuou justamente de onde o Tio Ben parou. Foi ela quem assumiu a função de ensinar algo mais à Peter além do clássico ”grandes poderes, grandes responsabilidades”. Ela tem importância vital nos rumos que o aracnídeo toma, mesmo sem saber disso (pelo menos antes do Peter revelar-lhe sua verdadeira identidade). Por todos esses anos, May guiou e aconselhou Peter com ponderações e orientações sobre a vida que, de uma certa forma, também se encaixavam em sua carreira de vigilante. Por tudo isso, pode-se dizer que a Tia May é o Mestre Yoda do Homem-Aranha. :P


Outro detalhe importante revelado apenas de relance no trailer é a nova moradia do nosso herói. Separado de seu amigo Harry, Peter aparentemente não encontrou em toda New York uma única república pra rachar a salgada despesa do aluguel. Cá entre nós, pegaram um pouco pesado no drama aí né. Do jeito que está, lembra mais aquela micro-quitinete que o Demolidor arrumou na época da Queda de Murdock.


Pelo menos o Pete descolou um frigobar. O que me leva a pensar... aposto que Bruce e Clark nunca tiveram esses problemas. Definitivamente não existem pobretões na DC.


Mais um lugar-comum revelado na prévia: "herói-abandonando-a-capa-pra-levar-uma-vida-normal". Lembrei logo de Superman 2, quando o Clark abre mão de seus poderes pra dar uma chuchada em Lois Lane. Aliás, muita gente já tentou isso nas HQs, então o problema aqui não é do filme e sim da fonte. De qualquer forma, a cena tem um lado positivo, que é a perfeita reconstituição de um momento da vida quadrinhística do Aranha. Ficou idêntico, o que prova que Sam Raimi é mesmo conhecedor do assunto. Com certeza, pra essa cena não devem ter feito story-board algum, já que era só folhear a revista.


Acho que clichê é clichê em qualquer lugar e eles sempre aparecem mesmo, então o jeito é se conformar. Mas o pior é que como uma coisa puxa a outra, você logo adivinha o que vem a seguir... Essa cena é obviamente o momento em que Peter se depara com um problema que só o aposentado Homem-Aranha pode resolver. Aliás, o plano-seqüência é praticamente uma reedição de uma cena do primeiro filme, quando Peter vê o Duende Verde pela 1ª vez, sobrevoando aquele show no centro de NY. Acho que está na hora de Raimi procurar outro diretor de fotografia.


Prédio em chamas de novo. E Peter dentro dele de novo. David Mamet também é um excelente roteirista... será que está disponível...?



Mocinha em perigo. Hã... já falei sobre clichê nesse post? :P



Próximo!



Efeito bullet-time em HA2! Não precisa esfregar os óculos. As aparições do Aranha no trailer estão 90% em forma de vulto, embaçadíssimas. Pelo que parece, o aracnídeo adquiriu supervelocidade também. Você só vê um borrão vermelho e azul na maiorias das cenas e fica imaginando se foi o Homem-Aranha ou o Superman que passou ali. Ficou um tanto quanto exagerado, principalmente se alguém na platéia tiver noções básicas de Física Mecânica.


De todas as cenas do trailer, essa foi a que me abriu o maior sorriso de satisfação. Na versão Ultimate do Aranha (na Marvel Millennium #09, pra ser exato), há uma seqüência similar à essa e os resultados gráficos são simplesmente incríveis. Os braços "ganham vida" e destroçam a equipe médica. É outra cena que dispensa story-boards.


Aqui, um detalhe interessante. Houve uma certa preocupação em livrar a eficiência dos tentáculos de possíveis furos na lógica. Como eles demonstram uma força incrível (talvez até superior ao aracnídeo), o Dr. Octopus não poderia simplesmente manter-se em pé enquanto os tentáculos levantam um carro, por exemplo. Sendo assim, ao menos um tentáculo fica apoiado ao chão, dando sustentação à força imprimida pelos restantes. Bem sacado.


Aliás, não poderia deixar de citar a excelente escolha que foi o Alfred Molina para o papel do Oquinho. Além de um grande ator, ele tem uma presença ameaçadora como poucos no Cinema. Já estava mais do que na hora da grande chance chegar para ele. Pra vocês terem uma idéia, só têm quatro atores que se me olhassem feio eu gelaria a espinha: Harvey Keitel, Samuel L. Jackson, Robert De Niro e Alfred Molina.


Esse borrão vermelho e azul indo pra cima do Doc Ock é o Aranha. Existem outras seqüências idênticas à essa ao longo trailer (essa, no banco e no topo de um arranha-céu), e uma coisa me incomoda um pouco: parece que esqueceram que o Oquinho é um humano apenas. Se ele levar um encontrão desses, poderia quebrar a espinha, o pescoço, ou os dois. Mas é só uma observação chata e perfeccionista da minha parte. Provavelmente eles não vão forçar mais do que isso. Eu espero.


O momento que todos esperavam desde o final do primeiro filme. Finalmente Harry se encontra com o algoz do seu pai. Nesse momento, ele tomará uma decisão que será vital para o futuro do Aranha no cinema e que, provavelmente, definirá seu próximo adversário. Sabemos que não há chance de morte aí, para nenhum dos dois (acho, pois o Oquinho também está presente na cena), então o mais provável é que Harry prefira saber primeiro quem é o aracnídeo na verdade...


...daí ele abaixa a faca e mete o mãozão na máscara do herói. Mas como diria o Lobão: "na verdade, nada é o que parece ser..." Duvido muito que entregariam fácil assim essa cena-chave de HA2. Pô, é o HARRY OSBORNE descobrindo que seu amigão PETER PARKER é o HOMEM-ARANHA!

Opções:
1. Harry descobre e some por uns tempos para voltar em HA5 como Duende Verde Jr.;
2. Harry leva uma porrada do Aranha, que acorda no pulo arrebentando as correntes;
3. Harry leva uma porrada do Oquinho mesmo, que pode ter outras intenções.

Outra coisa: se o Harry souber, o Oquinho também saberá, o que fará do Peter o pior preservador de identidade secreta das HQs (Clark nunca nem precisou de máscara).

Conclusões parciais: Muito festejado, afinal se trata do Homem-Aranha, a Ferrari das HQs. Duvido que o Deadpool ou o Motoqueiro Fantasma teriam a mesma babação de ovo. Têm clichês em um nível bem suspeito para apenas um minuto e pouco de trailer. O vilão está muito melhor que o anterior e é disparado a melhor coisa até agora. Há um péssimo indício de lenga-lenga adocicada entre Peter e MJ que poderá durar ainda uns 2 filmes (Mulder e Scully perdem).

Sam Raimi é um diretor não-linear (o que é uma ótima característica), mas parece que aqui ele está sob uma certa pressão executiva. Ou pode estar jogando na mesma fórmula de livre e espontânea vontade mesmo. Espero que os embates entre o Amigo da Vizinhança e o Oquinho façam frente ao lado burocrático que certamente veremos na telona.o precisa esfregar os

quarta-feira, 21 de abril de 2004

OS PRIMOS POBRES DO HOMEM-ARANHA



Fechando aquele papo que comecei no blog antigo (o último post antes daquele ablogalipse empreendido pelo Blogger Brasil), parece que já temos aí o resultado de duas das produções que comentei na ocasião - Hellboy e O Justiceiro. Confesso que daquela vez eu estava bem otimista com relação ao Hellboy, mas no caso do Justiceiro foi aquilo mesmo. Após uma visita ao Rotten Tomatoes (o principal termômetro da crítica cinematográfica norte-americana), acho que já dá pra tirar algumas conclusões.


Tomara que ele tenha acertado pelo menos esse alvo

A segunda chance do Justiceiro no Cinema foi recebida à pauladas pela crítica e não é pra menos. Pelos trailers já dava para enxergar uma certa estrutura padronizada de filme de ação, já bastante exaurida no cinemão americano. A maioria das pessoas com certeza não conhecem a caveira-símbolo do Frank Castle tanto quanto o “D” duplo do Demolidor, por exemplo. Pra quem vai ao cinema simplesmente atrás de um história original, deve ter sido decepcionante. E não adianta nem inserirem personagens cool, como o Russo, pois poucos conhecem a fundo a mitologia do (anti) herói. Colocar o diretor estreante Jonathan Hensleigh pra comandar a coisa toda também não ajuda. Isso é coisa pra um Robert Rodriguez ou um John Woo da vida... Resultado: o filme não pagou seu custo de produção e marketing, e está literalmente despencando nas bilheterias. A não ser que ele faça uma estréia mundial arrasadora, já era uma continuação com o Castle...

Por incrível que pareça, o Justiceiro ainda tem mais algumas sobrevidas. As ex-subestimadas vendas de DVD ao redor do planeta já livraram do anonimato certo vários candidatos à franquia cinematográfica (vide Hulk). Seja como for, O Justiceiro ainda vai demorar pra vingar (trocadilho infame), pois só a estréia no Brasil é 17 de setembro!

Reviews do Justiceiro publicados no Rotten Tomatoes



”Críticos? Prefiro a minha parte em dinheiro”

Na meia-contramão, temos a aguardada estréia de Hellboy, que não fez tanto barulho nas bilheterias, mas pode ser considerado um sucesso de crítica. Segundo o RT, 77% dela aprovou a produção. Isso é uma grande vitória, considerando que “filmes de super-herói” são, em sua maioria, mal-vistos pelos respeitáveis especialistas da 7ª Arte. Uma pena que o público foi bastante tímido, o que impediu a produção de se pagar logo. Mas faltou isso aqui pra chegar lá. De qualquer forma, ainda faltam várias estréias pelo mundo afora, o que deve garantir o retorno de bilheteria.

Aqui no Brasil, só vamos conferir o resultado do trabalho de Guillermo del Toro no longínqüo 30 de julho.

Reviews do Hellboy publicados no Rotten Tomatoes

O que nos resta agora é conferir a carreira dos outros candidatos a blockbuster pré-verão americano...



DESTRINCHANDO TRAILERS
(de novo)


TRÓIA


Ainda na onda de filmes épicos (Senhor dos Anéis, Gladiador e o vindouro Alexandre, O Grande) temos aí Tróia, candidato a detonar nas bilheterias. É sobre a lendária guerra entre gregos e troianos, em que uma disputa política teve como pretexto o rapto de Helena por Páris, o príncipe de Tróia. Essa produção da Warner é gigantesca em todos os sentidos. O diretor e produtor é Wolfgang Petersen e o elenco é estelar. Têm Orlando Bloom (como Páris), Brad Pitt (Aquiles), Eric Bana (o Bruce Banner de Hulk, aqui como Heitor), Peter O'Toole (Príamo) e Brian Cox (o cel. Stryker de , como Agamenon).

Pelas prévias divulgadas, o clima é de pancadaria old style, com uma história de amor e sacrifício por trás. Parece tudo muito bem coordenado (profissional é outra coisa) e as cenas grandiosas estão eletrizantes. O único fator preocupante mesmo é a presença do californian boy Pitt, que aqui parece mais galã do que aqueles ótimos sociopatas que ele costuma fazer.


Estilo "samurai-deixando-o-inimigo-agonizante-para-trás"


Indo pra guerra, dessa vez sem raios gama


Nós vamos invadir a sua praia...


Desembarque grego na Normandi... digo, em Tróia


Meio HQ essa cena aí...


Quem disse que agradar a gregos e troianos é fácil?

Curiosamente, algumas seqüências do último trailer (como essa última aí de cima) lembram bastante cenas da clássica HQ Os 300 de Esparta, de Frank Miller. Acho que os produtores de Hollywood já devem ter aposentado aqueles story-boards há muito tempo. É só passar na banquinha de revista mais próxima...


Tróia com um pé nos 300 de Esparta



O DIA DEPOIS DE AMANHÃ


Nova incursão do diretor Roland Emmerich (de Independence Day) no gênero ficção/aventura, dessa vez sem a costumeira parceria de Dean Devlin na produção. Emmerich é um diretor de altas apostas. Elogiado por Spielberg na época do ótimo (apesar da patriotada) ID-4, ele também foi responsável por Godzilla, que só tinha tamanho mesmo. Desta feita, o grande vilão é o desequilíbrio climático da Terra causado por décadas de superaquecimento global. New York que se cuide. Se fosse filme japonês o coitado seria Tokyo. E tomem tornados gigantescos em plena Time Square, tsunamis afogando a Estátua da Liberdade, terremotos apocalípticos e Manhattan se transformando na filial da Antártida. No elenco, o redivivo Dennis Quaid (no papel do "professor" da vez) e a demorada promessa Jake Gyllenhaal (do excelente Donnie Darko, aqui como o filho do "professor").

Após assistir o trailer: o filme é um mix de todos os filmes-catástrofe que envolvem a Natureza. Aqui têm elementos de Twister e Terremoto, passando por Limite Vertical até Impacto Profundo e O Destino do Poseidon. Com o diferencial dos efeitos ultramodernos é claro. Separem a grana da pipoca.


Tornado arrasando o letreiro de Hollywood - seria muita sorte


A Dama da Liberdade pegando jacarezinho


Pulando a 43 com a 44 da Time Square


Tornados muito nervosos em New York


Manhattan parecendo Brasil em dia de chuva grossa


Um puta ondão e só dá ráuli na área...

E pra confirmar que a grana aqui não foi pouca, a estréia será mundial: 28 de maio. Eu queria só 1% disso, que já tava bom. :)



A BATALHA DE RIDDICK


Vin Diesel, o ex-sr. "não-faço-continuações", estrela aqui a... aham, continuação de Eclipse Mortal, surpresa "B" de 2000, também dirigida e roteirizada pelo competente David Twohy. De famosos no elenco, temos a maravilhosa Judi Dench (o quê diabos ela faz aqui?), o rapper/dublê de ator Ja Rule e Thandie Newton, de Missão: Impossível 2.

Esse filme primeiramente foi tido como um prequel do anterior, mas pelo que parece, mudaram de idéia. O anti-herói Riddick agora é fugitivo (no anterior ele era prisioneiro de uma confederação de planetas qualquer), e se vê obrigado a enfrentar um vilão que quer escravizar toda a humanidade. Eeei, acorda aê! O filme anterior também não prometia!

Pelos trailers divulgados, não tem quase nada (ou nada) de alienígenas, que apareceram bem no filme anterior. Vin Diesel ainda é O Cara dos filmes de ação atuais, a produção está bem melhor, o clima continua sombrio e apocalíptico, com um bom jogo de sombras, e têm efeitos simples e bem interessantes, como um "fantasma" transparente, bem ao estilo Kittie Pryde e Visão. Separei poucos screens desse, pois há muitas cenas que "não funcionam" de forma isolada.


A 1ª aparição d'O Cara...


Parece a Lara Croft...


...mas né não...


Riddick com as faquinhas rasgando alguém


Os olhos sinistraços ainda estão lá...

E no trailer ainda aparece um monumento gigantesco, que lembra vagamente uma esfinge egípcia em pé. O curioso é que uma representação bem parecida também aparece no clip da música In The End, da banda Linkin Park.


A Batalha de Riddick estréia por aqui no dia 23 de julho, quase um mês após a estréia norte-americana. Não promete ser um blockbuster, mas tem cara que vai fazer uma boa carreira nas bilheterias.



VAN HELSING - CAÇADOR DE MONSTROS
(mais um pouco...)


Nos derradeiros dias do BZ lá no Blogger Brasil, eu comentei ad nauseum sobre essa produção. Falei do Hugh Jackman, da tendência "terrir" do diretor Stephen Sommers (da série A Múmia) e, principalmente, do plágio visual descarado em cima do personagem Solomon Kane, criado pelo escritor Robert E. Howard e presença esporádica nas páginas das HQs do Conan (também cria dele).

Reassisti a esse trailer recentemente, durante a sessão de A Paixão de Cristo, e conferi uma reação bem interessada do povo que lá estava. Os sustos, a princípio óbvios, parecem funcionar melhor na tela grande. A maior prova disso é a última seqüência do trailer, naquela hora que Helsing e Anna (a deliciosa Kate Beckinsale) olham pra dentro do poço. O susto é previsível, mas totalmente funcional... Por quê nós somos assim? :D


É isso aí que sai do poço...


Helsing e um Mr. Hyde sem um braço


Vampirinha dando uns rasantes

Van Helsing já está na boca do forno, com estréia mundial prevista para 7 de maio. Pode ser arrasador (65%) ou uma bomba daquelas (35%).

Todos esses trailers estão disponíveis para download bem aqui, em formato Quicktime. No próximo post, uma olhada mais "de perto" no último trailer de Homem-Aranha 2...

Post ao som de A Garage Dayz Nite, do Beatallica

Fui!!