terça-feira, 25 de outubro de 2011

Cartaz animado e uma péssima notícia


E não é que a Universal adiou a estreia de A Coisa para 27 de janeiro de 2012?

...não dá vontade de se inspirar no filme e sair por aí à caça de cópias perfeitamente assimiladas?

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Decifra-me ou devoro-te


Gil Grissom - Houve uma morte recentemente, em uma aldeia do outro lado do mundo. Cada homem da aldeia negou ter participação naquilo. A garganta da vítima foi cortada com uma pá. Um sujeito, que você poderia até chamar de nerd por ciência, mandou todos os homens irem com suas pás ao centro da aldeia e segurá-las com o cabo para baixo. E esperou. Eventualmente, moscas começaram a aparecer numa pá específica, atrás de vestígios microscópicos de sangue e carne.

Sara Sidle - As primeiras testemunhas de um crime.

Grissom - O investigador pegou o assassino...

Sidle - ...e a ciência forense nasceu. Sung T'su, 1235 DC. Você chama 800 anos atrás de "recentemente"?

Grissom - Para um astrônomo, sim.



Um dos aspectos mais marcantes de O Enigma de Outro Mundo - fora seu carnaval gore orgiástico, claro - é sua intrigante narrativa emulando um jogo de gato e rato. Sempre comparei o storytelling do filme à finura de Hitchcock sem o menor problema. Uma linha de eventos dispersos montando lentamente todo um cenário de crescente suspense e paranoia - e o que é melhor, sem nunca entregar a solução assim tão fácil. Pode reparar (considerando aqui o leitor que já assistiu ao clássico de John Carpenter - caso contrário, se desplugue dessa geringonça hi-tech e corra atrás agora!), mesmo quando um dos personagens se revela uma cópia alienígena, a questão pula de "será que ele é uma das criaturas?" para um inquietante "desde quando?".

Os ETs do filme pertencem a uma categoria hoje quase extinta no cinemão pop: a dos vilões inteligentes (Hans Gruber, Alain Charnier, Arthur Jensen e Gordon Gekko mandam lembranças). Quando os aliens copiões mostram que têm inteligência e malícia suficientes para dissimular e cobrir seus rastros, a situação, já tensa, ganha contornos de uma partida de xadrez. Com nada menos que doze personagens suspeitos em cena, fazer a engrenagem funcionar sem falhas foi um desafio formidável para o roteiro adaptado por Bill Lancaster.

É natural fazer vista grossa pra uma ou outra assimilação mais obscura, afinal, roteiro não tem que ser um dossiê - manter o interesse é a prioridade. Mas o puzzle completo realmente existe em O Enigma de Outro Mundo. E inclusive resolve seu maior enigma, no que outrora era considerado o perfeito final ambíguo: Childs estava infectado?

Para responder essa questão, é necessária nada menos que uma minuciosa análise forense, do tipo que nossos amigos Gil Grissom e Sara Sidle costumavam empreender em CSI: Investigação Criminal. A missão foi levada à ponta de faca pelo inglês Rob Ager, do site Collative Learning. Nos vídeos abaixo ele reconstitui, com uma visão sóbria e objetiva, todos os passos da "coisa", destrinchando seu M.O., a ordem das vítimas e até as metáforas escondidas na história. O resultado é estarrecedor.




Já assisti O Enigma de Outro Mundo vinte milhões, oitocentas mil, seiscentas e trinta e duas vezes desde os anos oitenta. Nunca percebi metade dos ganchos que o sr. Ager identificou aí (e que agora parecem tão absurdamente evidentes que só faltam me agarrar pelo pescoço). A honrosa exceção que me difere de um protozoário foi o link das chaves caindo das mãos de Windows com a sabotagem no estoque de sangue. Mas o take revelador no interior da base (culminando na porta aberta onde um certo personagem montava guarda) e a curiosíssima teoria das vestimentas me passaram batidos.

Isso sem contar a brilhante alusão ao jogo de xadrez que abre e fecha o filme. E que não deixa dúvidas. Agora aquele sorriso enigmático de MacReady no finalzinho ganha um significado inteiramente novo e faz todo o sentido do mundo.

Não é exagero dizer que parece até outro filme. O que é espetacular e me faz admirar ainda mais o trabalho de Carpenter, Lancaster e Kurt Russell. Mais ainda, me instigou a reassistir esse filmaço o quanto antes, agora munido com esse brinquedinho novo chamado conhecimento.

Ps I: mr. Ager tem a frustrante mania de vender dvd's com suas análises, dando a elas uma curta vida gratuita no YT. Então fica o aviso - os vídeos são altamente perecíveis.

Ps II: A Coisa, o prelúdio, estreia nessa sexta, lá fora. Por aqui, só no longínquo dia 2 de dezembro. Tomar no cu, hein Universal.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

William, William Shatner

Ele foi audaciosamente onde o bom senso jamais esteve. O eterno Capitão Kirk apenas convidou Zakk Wylde para as gravações de seu novo álbum e... e...


Nos confins do sistema solar, esquadras romulanas batem em retirada.