terça-feira, 31 de maio de 2016

Por um punhado de gibis


"Caralho... tá cara essa porra, hein?"

Le kiosquier, ao conferir pela 2ª vez o preço de capa do gibi novo do Tex.

Ainda estou me adaptando à programação e aos valores do cultuado ranger de Sergio Bonelli. Embora ainda não seja parte de seu público alvo, após aquela monumental Edição Gigante em Cores vol. 9 ilustrada por um mestre chamado Roberto "Magnus" Raviola, passei a pescar reedições de destaque aqui e ali.


Mas o espanto do ilustre vendeur de journaux é compreensível. Para neófitos e, no meu caso, recém-chegados, os R$ 19,90 da Tex Edição Histórica #96 soam como um assalto à diligência mais desguarnecida de El Paso. Com periodicidade trimestral, o formatinhozinho 13,5 x 17,5 de 186 páginas (fora contracapa) em preto e branco é impresso num pisa brite fosco, o que, se dá mais profundidade aos sombreamentos da arte-final, também configura um superfaturamento do infame papel limpa-bunda.

Mas, pesquisando, vi que até houve redução no preço em relação às edições passadas, o que é louvável. Meio ponto pra Mythos.

E não se pode ignorar fator da literatura pulp, do quadrinho cult. Ler Tex em papel jornal é old school. Tudo pelo romantismo. Ainda mais em se tratando do conteúdo: uma reeeeedição da saga "El Muerto", considerada por quem entende como uma das melhores histórias do southern-hero.


Só podiam ter escolhido uma capa menos reveladora, hm?



Tex Graphic Novel #1: O Herói e a Lenda custa R$ 29,90, mas poderia ser até 39,90 (não dá ideia...). Esse é um daqueles raros encontros de dois deuses da 9ª arte: Paolo Eleuteri Serpieri fazendo um tributo ao legado de Sergio Bonelli do jeito que sabe melhor - na prancheta.

Lançada originalmente em Tex D´Autore #1 (fev/2015), a graphic de 48 páginas e capa cartonada é fina demais para ser um encadernado em capa dura, mas bem que merecia. Conspira a favor a proporção 20,5 x 27,5. Ou seja, superando até as medidas do formatão magazine tradicional.

Chegará o dia em que toda HQ de valor será impressa nessas dimensões... mas considerando a diferença de tamanho abissal dessas duas aquisições, isso deve demorar um pouco...

A arte, as cores, o texto e a adaptação (livre) do autor, como não poderia deixar de ser, são grandiosos, espetaculares, Serpiéricos!


Quase não senti falta da Druuna. Imperdível.

7 comentários:

BOND disse...

Doggma, essa Tex Histórica ser mais fina é por causa da história ser menor, a maioria das edições tem de 250 a mais de 300 pgs. Procure a Tex Ouro também que é material de alta qualidade.

doggma disse...

Muito obrigado pelas infos, BOND! Não sabia que variavam tanto assim, tão acostumado que estou com as regulares de Marvel/DC. O processo de desprogramação é lento, rs.

Valeu também pela dica da Ouro, vou pesquisar.

Em tempo: aquela Tex Platinum com Antonio Segura/José Ortiz parece bem atrativa também, hm? A dupla pelo menos é de altíssimo calibre...

BOND disse...

Sim, é boa sim. De Tex só compro esses "tijolos", a Ouro, Anuais, Edição Histórica e Férias, além das Gigantes. O difícil é conciliar com os lançamentos de várias editoras e ir pegando edições antigas em sebos. Mas devagar a gente chega lá, e a falta de uma cronologia intrincada ajuda muito, vc pega uma Ouro, senta e lê. Simples e muito divertido.

BOND disse...

Sobre o preço, acho que a Mythos abusa um pouco mesmo em todos os seus produtos, mas devemos levar em conta as tiragens mais baixas que Marvel/Dc e a qualidade de suas publicações como Dredd, Dreadstar e fumettis em geral, que colocam as atuais porcarias Marvel/Dc no chão, com poucas excessões.

doggma disse...

Pronto, fechei um Platinum no (I)ML.

Interessante você comentar isso da falta de cronologia intrincada, BOND. É justo o que anda me atraindo até esses títulos, junto com as republicações que os fãs de longa data reclamam (caso dessa coleção Platinum). Pra mim está sendo mão na roda, mas entendo a insatisfação.

Sabe, mesmo levando em conta as tiragens mais modestas, os preços da Mythos ainda parecem mal planejados, rs... Quem paga esse valor por um formatinho em papel reciclado, pagaria um pouco mais por uma edição bacanuda em formato italiano. Fora que assim fica difícil fidelizar o público novato. Mas a Mythos parece só levar em consideração o agora, não o amanhã.

Deviam aprender com o personagem do Matt Damon em "Cartas na Mesa": "Você pode tosquiar uma ovelha várias vezes, mas esfolar, só uma."

BOND disse...

Procure as Ouro 45e a 72, que é tipo uma continuação, e a Anual 11, só uma dica, mas garanto que vai achar foda.

doggma disse...

Valeu mesmo pelas indicações, BOND! Esse mês acabou pra mim em termos de HQs (já!), mas essas já estão anotadas pro mês que vem.