sábado, 25 de março de 2017

Trailer Clube dos Cinco

O pen drive do Lex foi descompactado. Seja como for ou como vier, um 1º blockbuster da Liga da Justiça é um evento histórico. Ponto.

E toma trailer.


Esse é talvez o último grande bastião a ser derrubado. Lembra como há uns vinte anos (logo ali) qualquer coisa envolvendo super-poderes parecia impossível na telona? Pelo menos não sem soar camp e datado. E acho mesmo que os créditos de criação de toda a estética e cinematografia que tornaram isso possível deveriam ir para Alex Proyas e Stephen Norrington, respectivamente. Mas esse assunto fica pra próxima.

Sinto uma obrigação cívica de prestigiar a estreia da Liga no cinema, mesmo que os rumos do universo cinematográfico da DC pelas mãos de Zack Snyder sejam pra mim um desastre de proporções apokolípticas. E desconfio que estou sendo mais cerimonioso em relação à importância histórica desse longa do que a própria Warner, mas vamos lá...

Rápido e rasteiro:

  • Ao exemplo das campanhas do filme do Esquadrão Suicida, a prévia vende um pacotão de 2 horas e pouco de aventura/ação modernosa, frenética e com doses de humor mais generosas que o padrão até aqui;
  • O uniforme do Flash é uma tralha, mas o efeito do arranque é ótimo e diferente até da versão televisiva;
  • Cyborg... meu São Steve Austin, que geringonça... CGI pavoroso (isso tem que melhorar) e uma concepção lamentável baseada nos Novos 52 e, sei lá, nos Bayformers?.. e ainda voando (!) igual ao Homem de Ferro; 
  • Há algo muito mal-resolvido no Bat-Affleck, como se ele ainda estivesse bastante desconfortável no personagem... não soa como se estivesse satisfeito com seu próprio Bruce Wayne ou que tenha se acertado com a armadura de dezessete toneladas - mas, veterano, não compromete tampouco;
  • A Mulher-Maravilha da ex-incógnita Gal Gadot brilha a cada aparição e periga valer o ingresso sozinha...;
  • ...tal qual o Arthur Curry/Aquaman do Jason Momoa, entre o fanfarrão e o ameaçador num timing bacana;
  • Ao malocarem o vilão principal ou o Superman fica óbvio que esses elementos serão importantes, quiçá os MacGuffins da trama... quer me enganar, me dá bala.

Trailer é igual displayzinho de McLanche - uma peça publicitária que dificilmente vende o produto de maneira fiel. Mas esse, por priorizar o aspecto diversão da experiência, se sai bem. E dessa forma deixa a espera pelo relaunch do UDC nos cinemas um pouco mais suportável.

8 comentários:

samurai disse...

Lee Majors aprova todos os pontos do Rápido e Rasteiro

doggma disse...

Ouvi que o Luther Manning também aprovou. Os ciborgues do mundo têm que se unir. E abrir um KS pró-Victor Stone antes que seja tarde.

LEO disse...

Sei não, doggma...

Fiquei desconfiado desse trailer: Te confesso q pouca coisa (quase nada) me agradou. Mas espero e torço pra q seja um bom filme, pois verei no cinema de qq jeito!

Um dos pontos negativos (a meu ver): Piadinhas bestas e forçadas ("Eu sou rico") q tanto foram criticadas nos filmes da Marvel (q tbm passam da medida). A Warner/DC parece ter apelado então pras piadinhas pra tentar reverter a aceitação do público? é a impressão q fica ao menos!

Enfim... são só minhas primeiras impressões (pessoais): Claro, q tenho q ver o filme de fato pra formar uma opinião definitiva!

Abs!

doggma disse...

A punchline do Bruce me desceu quadrada também, mas deixei passar batida pra parecer mais imparcial, rs.

Talvez eu esteja mais esperançoso devido à emoção de finalmente ver a Liga em live-action - descontando aquele telefilme trashíssimo dos anos 90, claro. Aí vou tentando abstrair um pouco esse Snyderverso pra lá de equivocado. Pelo menos o mínimo necessário para entrar na sala de cinema e curtir uma aventura-com-pipoca de uns super-heróis vagamente parecidos com aqueles que eu amo ler nos gibis.

No final das contas é por aí, Leo. Só assistindo. Lembra que na divulgação do filme do Lanterna, após uma enxurrada de críticas ("I know, right?"), o estúdio tratou de providenciar um trailer excelente propondo um tom mais sério e sci-fi?

O céu é o limite na sala de montagem. :)

samurai disse...

Pra quem ja viu Aquaman usando peixes voadores com arreios..
Qq coisa ja vale a pena

Luiz Carlos Silva Marcolino Júnior disse...

Parece que o Aquaman, do Jason Momoa, vai ser mais Conan, que o Conan, do Jason Momoa!

doggma disse...

heh... pra cês verem como eu tô véio. Num dos primeiros gibis que li (Pequenina #9: Homem-Borracha em Formatinho, da EBAL) o Aquaman chutava bundas com os dois pés ao mesmo tempo. Foi o 1º super-herói mais violento que a média que conheci. Cortesia de Paul Levitz e Jim Aparo.

Isso muito antes do desenho dos "Superamigos" e do processo de buchificação a qual o Arthur foi submetido nas décadas seguintes. Agora ele tá aí, "de volta às raízes"!

Luiz Carlos Silva Marcolino Júnior disse...

O Snyder teve que abandonar o projeto. Isso é bom ou ruim?