terça-feira, 8 de maio de 2007

BEER LABEL SOCIETY


A culpa é do Alcofa. Após trocentas recomendações, eu finalmente fui conferir o show do... arram... megafodônico Black Label Society. Em DVD, claro.

Lançado no ano passado, o duplo The European Invasion - Doom Troopin' (Live) traz na íntegra a apresentação da banda em Paris, mais quatro porradas que demoliram o Astoria, em Londres. No disco 2 tem um rockumentário on the road, três vídeos e um making of na faixa.

Ainda que eu já esperasse, a performance é uma marretada na têmpora esquerda. Ao vivo, o grupo de Zakk Wylde é quase uma fonte energia alternativa, elevando seu southern metal pesadão a novos patamares. Impressionante. Com o apoio de uma trinca de músicos afiadíssimos, Zakk fica livre pra debulhar guitarras incessantemente durante o set - que, por sinal, é porrada atrás de porrada, dando só um descanso na bela In This River e numa dobradinha semi-acústica. O legal é que, apesar do altíssimo cacife técnico, Zakk não se rende à solos operísticos, digitados e cheios de escalas. O barulho é privilegiado no mix e chega troncudo, espaçoso, violento, na melhor escola Tony Iommi's Iron Man encontra Eddie Van Halen's Eruption.

Notável também foi a quantidade de cerveja que Zakk matou durante o show. Sozinho, o cara deve ter fechado uma grade ali. Bebe, mas bebe com pressão. Se fosse Black Label mesmo - o whisky -, dificilmente ia terminar o set-list.

E falando em Iron Man, o clássico do Sabbath é citado rapidamente em um interlúdio. Com uma guitarra na mão e um copo de cerveja na outra, Zakk inventou a melhor maneira de tocar Iron Man que já vi >>


Som de macho é isto aqui, porra. Depois que assisti ao show eu ando com muita, mas muita vontade de encher a lata de cerva.

Cadê a minha clava?

3 comentários:

JoaoFPR disse...

É, conheci Black Label através das postagens dele também.
E nâo me arrependi!

Alcofa disse...

ahhh, Black label Society. Como é bom isso aqui. Mas Dogg, vc pegou o dvd original? com os extras? cara, tem algumas coisas de rolar de rir no extras, além de entrevistas bem bacanas (e Zakk falando bem do Brand New Sin, que na época eu deixei passar batido ... burro). Eu gostei bastante deste set list porque ele tem muita coisa do Blessed Hellride, que é o segundo melhor dos caras (só perde para o mega fodônico Stronger than Death ... cada vez que eu escuto aquilo lá, eu tenho que ingerir alguma coisa alcólica). Uma pena que o novo album tenha "ficado um pouco morno". É bom, como tudo que o Zakk fez com o BLS, mas eu acho que faltou um pouco do punch dos tres primeiros albuns ... mas BLS é som de macho MESMO. simples assim!

abração!

kalunga disse...

Salve Doggma!!!

Black Label é som de macho, porra!!!!

Black Label, hummmm... joninho 12 anos, hehehehehe...

Sonzeira fodida, e eu vi este DVD -um arregaço!! Ainda que o Zack seja um cara, digamos, meio porcão no palco. Mas som de macho é isso aí mesmo!

A cada disco o cara manda melhor, na minha opinião.

É som p/ pegar uma highway e parando nos postos somente p/ abastecer de birita!

um grande abraço!!!