sábado, 25 de fevereiro de 2012

O Governador está vivo!


A AMC confirmou ator britânico David Morrissey no papel do Governador na 3ª temporada de The Walking Dead. A temporada terá 16 episódios e começará a ser produzida na primavera (20 de março), em Atlanta.

Essa notícia certamente contraria várias expectativas sobre o que vem sido sugerido até então. Quem acompanha o blog sabe que eu apostava minhas fichas em Merle Dixon, o irmão desaparecido do Daryl, emergindo num futuro próximo como o Governador. Somando-se a isso, o peso de um ator do porte de Michael Rooker - demais para um mero personagem recorrente. Transição que seria coerente e natural, óbvia até. Mesmo a automutilação que ele cometeu no alto daquele edifício seria de um simbolismo monstro no primeiro encontro entre Rick e o Governador. Me pergunto se era este (ou não) o plano original traçado por Frank Darabont.

No aspecto "qualidade cênica", porém, não há nada para temer. Eu poderia simplesmente listar o currículo acadêmico invejável de David Morrissey (Royal Academy of Dramatic Art, Royal Shakespeare Company, National Theatre, etc), a indicação ao Bafta ou a reverência da crítica, mas basta voltar a mencionar que ele é um ator britânico. E com raízes teatrais. Não tem erro.

Morrissey também é conhecido por sua pesquisa e preparação meticulosas para os personagens que interpreta. Bem old school mesmo. No caso deste papel em particular, ele deve ter perdido algumas noites de sono...

Uma coisa é certa: o Governador chegou e já chegou surpreendendo.

7 comentários:

Bernardo disse...

Só o fato da confirmação de que o personagem vai estar na série já valeu o dia, tinha algumas dúvidas se iriam ter coragem para isso. E pra ser sincero nunca gostei muito da idéia do Merle vir a ser dito cujo. Uma das características mais macabras relacionadas ao personagem é que no início ele parece ser uma pessoa razoável, simpático até. Só aos poucos nos damos conta (e Rick e cia. também) de quem ele é e do que é capaz, o que contribui imensamente para o crescendo de suspense do arco. Sei que se fizerem a coisa direito (ainda que não acompanhando literalmente o houve na HQ, o que é praticamente impossível na telinha) vai ter muita gente perdendo o sono além do intérprete britânico.

Alcofa disse...

Sou da opinião do cabra acima. Merle até daria um bom governador adaptado e teria motivos de sobra pra equilibrar o jogo de mãos...

Agora, minha pergunta é: vão ter coragem de mostrar TODA a maldade do governador na série?? Tudo o que ele fez com Michonne e o grupo de Rick? E melhor, terão CORAGEM de colocar pelo menos 10% do tratamento da nossa Afro Samurai com ele em retribuição aos carinhos feitos contra ela???

O bacana mesmo do governador é o quão FILHO DA PUTA ele é, justamente por ser um cara que faz Lúcifer se mijar nas calças.

Ta faltando a Michonne no seriado...

E comprei meu exemplar do recém lançado A Ascensão do Governador, pela galera record. Solta uma nota ae, Dogg!!

Grande abraço, meu velho!

Bernardo disse...

Comentário paralelo, será que sou só eu que está achando que The Walking Dead, a HQ, já não é mais a mesma? Depois do final bombástico do arco do Governardor a história entrou num momento de transição em que parecia estar ganhando folêgo para mais uma sequência aterradora de eventos que viriam... e nunca vieram. Os outros arcos foram perdendo a força, e em algumas momentos o Kirkman parece estar tão perdido quanto seus personagens. Será acúmulo de trabalho? Agora que começou outro arco vou continuar apostando na série, mas já começando a duvidar que ela volte a mostrar o impacto que já teve.

doggma disse...

Alcofa, eis a grande questão. Mas confirmar o Governador já é um passo quilométrico nesse sentido. Tinha dúvidas se ele surgiria no final das contas.

E foi uma pena mesmo não terem escalado o John Hawkes, mas o calibre do Morrissey não fica nada a dever não.

Abração, véio!

* * *

Bernardo, não é só você não. TWD vem num ritmo estacionário desde algum tempo (desde que o grupo de Rick aportou em Alexandria, pra ser exato). A qualidade da narrativa segue num bom nível, mas a trama requentada é um tanto frustrante. Tirando a dobradinha #83-84, pouco aconteceu de efetivo naquele micro-universo.

Acho que você acertou no ponto quanto ao motivo: acúmulo de trabalho. Esses últimos anos devem ter sido insanos pro Kirkman.

Mas sou esperançoso de que dias piores virão.

Luwig disse...

Ih, sei não, por essa eu juro que não esperava (ou esperava?). O final de temporada, tal qual o do ano 1, tá ficando com um gostinho agripodre que eu vou te contar...

Meio que já previa algo assim para o Dale de Jeffrey DeMunn, dado o rumor que o ator veterano, colaborador de longa data de Frank Darabont, tomou suas dores quando soube da saída do amigo da produção.

Previsível? Sim. Bom para série? Péssimo. O usual era substituir o Jeff por outro intérprete*. Matar o Dale agora é como amputar metade do potencial de Andrea como personagem, além de riscar da existência ou, pelo menos, abrandar o potencial de destruição de uma vindoura adaptação do arco 'Fear the Hunters'. Sem falar que o Dale - "O" Dale real - tinha uma presença dentro do quadrinho que esse defunto aí sequer arranhou, não por culpa do Jeff, mas por uma sucessão de equívocos e prioridades mesquinhas por parte de Greg Nicotero, Glen Mazzara e, por que não, o maior culpado, Robert Kirkman que deu aval para uma estupidez dessas.

Terão que fazer muito, muito bonito nesses dois derradeiros capítulos pra superar a decepção causada por esse 'Judge, Jury, Executioner'.

(*) Eu tascava um Jude Ciccolella (o "Mike Novick" de 24 Horas) no Ano 3 sem pensar duas vezes.

P.S. Sobre o Governador, acho que todo mundo quer vê-lo no seriado, mas o melhor mesmo seria vê-lo no momento certo e sobre as circunstâncias certas. Depois desse episódio, infelizmente, não consigo vislumbrar as coisas acontecendo de tal modo.

Abração.

doggma disse...

Minhas esperanças pela permanência do DeMunn já tinham ido pelo ralo quando o confirmaram na nova série do Darabont. Também não seria contra uma substituição. Valeria a pena, se o resto de sua história fosse respeitado.

Agora, o que vão fazer com o Shane é imperdoável. Kirkman vendeu a série sem dó.

Quanto ao Governador, após essa sequência de revezes... sei não. Aliás, o próprio presídio... sei não também. Não tá com a menor cara de que eles vão sair daquela fazenda.

Cássio Nandi Citadin disse...

Governador merece uma série só pra ele (a vista que também ganhou um livro)