terça-feira, 6 de março de 2012

À espera de um milagre




Antes de mais nada, devo considerar que, para o espectador que não leu os quadrinhos, The Walking Dead pode estar eletrizante. Infelizmente, este incauto nem imagina o que está perdendo com as alterações radicais que os produtores andam fazendo no material original. Com todo o racionamento de gore e zumbis e personagens insípidos como o T-Dog povoando a tela, não há mais dúvidas: estamos agora em plena era Glen Mazzara. Paradoxalmente, são de autoria dele os roteiros de dois dos melhores episódios dessa temporada ("Bloodletting" e "18 Miles Out"), cujas intervenções foram cuidadosas o suficiente para não desviarem a trama do itinerário dos quadrinhos. Mas há um problema aqui, Houston. E sério.

Além da já batida tecla dos cortes orçamentários da AMC, um evento mais arrasador que qualquer apocalipse zumbi se abateu sobre a série: L.A. Noir, o novo projeto de Frank Darabont para o canal TNT. A primeira baixa foi o ator Jeffrey DeMunn (o Dale), seu amigo e colaborador de longa data - já contabilizada pelo último e polêmico episódio, "Judge, Jury, Executioner". Saída abrupta, anticlimática, prematura. Simplesmente não sei o que será da série (e da Andrea!) sem ele daqui pra frente.

A segunda pode ser Jon Bernthal, o Shane, cotado para ser o protagonista da nova série Darabontiana. Felizmente, esta saída pela esquerda seria bastante providencial para The Walking Dead, porém não da forma como vem sendo sordidamente tramada: SPOILER.

Pra arrematar, não duvido da previsão - catastrófica - de um amigo: "além disso, acho que eles vão simular o presídio na fazenda".

Para os veteranos de TWD-gibi é desconcertante. E nem adianta recorrer ao criador - Robert Kirkman aprova as mudanças. E tenho a sensação cada vez mais forte de que ele, agora alçado ao status de produtor executivo de televisão, está disposto a aprovar qualquer coisa.


Atualização 07/03:


O führer não tardou a reagir.

11 comentários:

Avalanche(Lance) disse...

QUandrinhos....pena ser a mídia menos lucrativa.

samurai disse...

Pois então... como um dos que não leu a HQ achei q a serie na 2 temp teve um pico no ep do bar, pensei comigo, agora vai.Que nada este ultimo ep foi um balde de agua fria, pelo menos pra mim. A construção do carl é muito lenta e confusa.
O jeito como fizeram pra eliminar o Dale, tipo colocando ele naquela situação de que, so matando ele mesmo
desrespeito com o espectador medio.
E tomara que não aconteca esse seu spoiler, o shane merece que algo "mais humano" aconteça com ele.
No mais, pra variar falou tudo.
Abraços
Alessandro

Luwig disse...

Matar Dale nesse ponto da história em TWD é o mesmo que manter Ned Stark vivo para o Ano 2 de Game of Thrones. Difícil de engolir.

Mais difícil ainda é acreditar nesse sorriso amarelo de Kirkman ao proferir por aí que tudo faz parte do plano. Otis, vá lá - quem era Otis mesmo? -; Sofia, beleza, não faz mal; mas, porra, agora o Dale?

Acho que o criador está sendo ba$tante leviano com a própria obra, de forma que eu comprei também a teoria do seu amigo. Do jeito que está, tá difícil sair desse cenário bucólico e a julgar pelas informações dos dois próximos capítulos, o rol de heresias vai aumentar consideravelmente, inclusive o modo pela qual Shane vai comer capim pela raiz, onde o Carl só entraria para abater o zumbi que sairia dali.

Revoltante, chefe. Revoltante, tinham tudo pra fazer algo pra lá de decente.

Do Vale. disse...

E parece que o homem anda perdendo a mão no quadrinho também...

Paulo Bala disse...

Caras,
o sentimento de brochação está cada vez mais forte. Cada episódio dura cerca de 43 minutos dos quais se pode colocar no fast forward 20 min ou mais sem mendo de perder um único diálogo significativo. Estou com a sensação que um grande material está sendo jogado fora e que o "fim" está próximo. Um grande pena...

samurai disse...

Muito bom esse video. Isso é que é immediate response.

Luiz André disse...

É uma constante irremediável: The Walking Dead sofre do mesmo "mal" de séries adaptadas a partir de outro material, tais como Dexter, Game of Thrones e, apelando levemente, Smallville: na transposição para a mídia TV, muito se perde do material original, embora deva ficar claro que a fidelidade ao espírito da série deve prevalecer, algo que deixa de acontecer assim que a determinada série atinge seu segundo ano. Vejamos bem: os melhores anos das séries citadas são os primeiros, talvez por serem mais fiéis ao material original, talvez porque a produção precise mostrar serviço para manter a série no ar no sentido de atrair fãs dos livros e das HQs e, posteriormente, fãs que assistem à série e correm às livrarias ou aos sites de compra para adquirir mais produtos e conhecer melhor a história que é contada. Esta política de alterações é uma faca de dois gumes, porque pode levar a um arco fantástico (como do Trinity Killer em Dexter) como recair em algo sem maiores relevâncias (matar a menina Sophia após sete (!?!) episódios de procura pela menina em um mato sem cachorro). Para os fãs que não vão caindo pelo caminho como zumbis alvejados por um atirador no alto de um prédio, The Walking Dead está se tornando uma comédia involuntária, quase um terrir, e sobre este tema, já temos Shaun of the Dead (Todo Mundo Quase Morto, título infame, eu sei, mas o filme prevalece) para mostrar como dever ser feito a receita zumbis + comédia.

Solnumacaixa disse...

Bem: o Dale nas HQ`s era foda, mas no seriado ele ficou meio nhem desde o começo dessa temporada. Eu não gosto, mas aceito a morte dele.
A prisão realmente, nem vejo como ela poderia entrar. Acredito que o tal grupo do Randall seja o do governador, ou se não no mínimo que Merle esteja nele.

Assisti um episódio a mais, (não leia se ainda não viu) e vi a tal morte do Shane. Devo dizer que para a realidade do seriado, me pareceu bastante razoável, embora prefira de longe a das HQ`s. Um acerto de contas entre os dois era inevitável e a história pedia isso.

Agora, o Carl aparecer no meio do mato só p matar o zumbi-Shane foi tosco demais! Pareceu a msm saída sem criatividade da Lori pegando um carro para ir atrás do marido 5 segundos após ele ter saído.

Em algumas entrevistas, o novo showrunner estava dizendo que queria trazer mais para perto do seriado e coisa e tal. Talvez seja a forma dele de dar um fim nas coisas planejadas e dar um reeboot?
Espero que o último episódio e a terceira temporada não seja tão novela mexicana, nem tão cheia de plots toscos com pessoas burras andando sozinhas na mata para ser mortas.

PS: eu aceito que o T-Dog esteja vivo pq espero que Merle retorne arrancando tripas.

PS2: Do Vale está certo, ele tá merdando a revista tb, já tinha que terminar essa budega.

PS3: só eu acho uma fazenda aberta o pior lugar p se esconder?

Solnumacaixa disse...

Só mais uma coisa: a HQ é boa, mas não é uma obra de arte. Ela tem momentos ruins, na verdade mas é boa o suficiente para você ler e querer saber o que vai acontecer.
Na minha opinião, o seriado também.

Nesse quesito, é uma boa adaptação (pelo menos p mim).

Cássio Nandi Citadin disse...

É uma coisa meio mito da caverna do brother Platão. Quem achou o máximo essa morte do Dale (e a sequente) não ouve o fã da HQ falar que aqui foi redondamente errado e que a versão em papel é infinitamente melhor.

Bruno Mattos disse...

Ei Dogg, o que você achou do season-finale?