terça-feira, 8 de setembro de 2009

GUERRA EXTRA-OFICIAL


Uma das declarações mais recorrentes de James Cameron sobre Avatar é que ele guardava o projeto há anos, apenas esperando pela tecnologia o tornasse possível. Talvez esse seja o maior preço a pagar por lançar técnicas inéditas e revolucionárias que transcendem, e muito, o standard de sua época. E pelo jeito a "espera" é um lugar-comum na carreira do cineasta. Terminator 2: Judgment Day - The Book of the Film compila todos os storyboards, propostas e estratégias de produção que ficaram fora de T2. A esmagadora maioria relacionada às sequências da guerra contra as máquinas no futuro.

Toneladas de material ficaram de fora por puro déficit orçamentário. E um material de primeira, com cenas completas de ação e drama, novos robôs e conceitos como a hybermatrix dos exterminadores. O que se nota é que Cameron já havia concebido toda aquela linha narrativa, suas particularidades e, possivelmente, até sua conclusão - a mesma suspeita que todos tinham de George Lucas e Guerras nas Estrelas antes dele voltar àquele universo dezesseis anos depois.

Com o terminatorverse sendo retomado por terceiros, dificilmente veremos essas ideias saírem do papel por intermédio do diretor. Alguns trechos:


PhotobucketPhotobucketPhotobucketPhotobucket
PhotobucketPhotobucket


Meu preferido é o bacanão HK-Centurion esmagando os rebeldes sob uma rocha e exterminando os demais humanos atrás das linhas defensivas... belo instrumento da destruição. Mas no livro devem haver bons lances rebeldes contra as torradeiras também. :)

Via io9 (com galeria)



Se qualquer hora você passar por Orlando, Hollywood ou Osaka - e tiver alguns dólares sobrando - não deixe de conferir T2 3-D: Battle Across Time, atração temática da Universal Studios. O show foi idealizado e dirigido por James Cameron, Stan Winston e John Bruno, funcionando como uma minissequência livre de Exterminador do Futuro 2. "Livre", pois traça uma narrativa que reaproveita os principais elementos do filme, mas desconsidera seus eventos finais.

O programa começa com uma apresentação promovendo os avanços da Cyberdyne Systems. Depois emenda num ato principal, que envolve animatronics e performances ao vivo de atores interagindo com um filme 3-D estrelado pelo cast central de T2 (Robert Patrick, Linda Hamilton, Edward Furlong e, claro, Schwarza). Custando a bagatela de 60 milhões de dólares, o filme tem uma produção bastante eficiente para o formato e expande os conceitos da guerra na visão de seu criador original - o único veículo onde isso já aconteceu.

Estão lá os HK's aéreos, unidades T-800 sem o "living tissue", alguns minihunters (os mesmos de Terminator: Salvation, só que armados com laser) e três novidades que me chamaram a atenção:


O brutamontes T-70, o neanderthal dos exterminadores e bisavô dos T-600 de Salvation, em toda a sua glória animatrônica (mais shots aqui);


O T-1000000 (!), também carinhosamente chamado de T-Meg., um robô aracnídeo gigante com a tecnologia de metal líquido do T-1000. É uma espécie de guarda-costas do CPU da Skynet;


E a central de processamento da Skynet, uma enorme pirâmide futurista, ainda com aquele perfil superhardware da era Cameron, antes do conceito software/ciberespaço adotado nos filmes seguintes.


Abaixo, a ótima sequência de perseguição no futuro com Schwarza e Furlong.




Impressiona a longevidade da atração, que foi lançada em 1996 e continua sendo um sucesso até hoje - mesmo com um plot defasadíssimo em relação à cronologia atual. Muito disso se deve ao impacto que T2 teve nesta geração, hoje trintona ou quarentona e com alguma bala na agulha. Quem foi, adorou.

[dica do Amadeu]


Recapitulando a guerra:
T1
T2
T3
T4

5 comentários:

Luwig disse...

E eu fui em 1998 e me arrependo até hoje de não ter comprado a tal camiseta preta com o maldito T-800 em chamas! Lembro da fila enorme que enfrentei, aliás, as duas filas, porque teve um bis obrigatório de minha parte, o que, diga-se de passagem, atrasou todo o itinerário pretendido e deixou a guia da minha excursão fula da vida.

P.S. E sobre a postagem do "Homem Verde", valeu pelas citações.

JoaoFPR disse...

Cheguei a ficar com saudade dos bons filmes do Governator.

De a ele uma camiseta rasgavel e o torne a prova de balas.

Bons tempos, que não voltam mais.

doggma disse...

Luwig, tu foi, maluco? Bacana! Imagino que a pobre guia já não aguentava mais moleque atrasando a parada toda por causa do terminator... E você foi lá, mas não comprou a maldita camiseta? Shame on you!

João, tenho sempre as obras completas do Schwarzenator para esses momentos de nostalgia. Explosões safra 1980 são o que há. Agora... terminou que ninguém conseguiu substituir o cara mesmo. Levava maior fé no Vin Diesel e no The Rock (que nem assina mais 'The Rock')...

Sandro Cavallote disse...

Cara, lendo esse post fiquei ainda mais puto por terem feito aquele cocô fétido cheio de furos que foi T4...

Fabio Martins - Kalunga disse...

Doggma!!

eu já havia viajado nos seus posts antigos sobre o Terminator e suas colocações de então ainda soam pertinentes, ainda mais tendo em vista este tesouro precioso citado neste post e que parece que ficará perdido para sempre no espaço-tempo de Hollywood.

O Cameron conduziu um dos melhores exemplos de sequência em toda a história do cinema com os dois primeiros Terminators, e todo mundo que acompanhou aquilo ali na época ficou babando querendo mais sequências da guerra do futuro.

Uma pena que ele não tenha posto as mãos no T4 que, assim como o Sandro, também me provocou decepção, um desperdício visual tremendo com uma saga tão visceral.

Sobre o Avatar, eu e todo mundo aqui já deve ter visto os teasers. Mas, a despeito da tecnologia impressionante, não fiquei muito animado não... A história parece boba, meio com o que seria "Cameron-faz-parceria-com-Disney-Pixar", mais afeita às necessidades dos executivos de Hollywood que despejam seu desespero de faturar grana no filme em tempos de crise, e que por isso deve ter história mais amenizada para atrair uma classificação etária mais ampla. Bom, é tudo suposição, mas continuo com o pé atrás.

abração!