quinta-feira, 8 de abril de 2010

Simplesmente zumbis


Primeiro a mea culpa: um blog com a palavra "zombie" no título nunca ter comentado sobre The Walking Dead... não merece o nome que tem. Quer dizer, comentar, até comentei, tecnicamente falando. Mas que estou devendo, é inegável. Então, espero reverter este worst case scenario em breve, dando o primeiro pontapé agora, assim, na loucura.

E dá-lhe curta!

Segundo o THR, a série televisiva baseada na obra máxima de Robert Kirkman e Tony Moore já escalou seu protagonista. O ator inglês Andrew Lincoln será o policial Rick Grimes, líder de um grupo de sobreviventes do holocausto zumbi. Lembra do Lincoln?

Lincoln é o cara que protagonizou aquela cena em Simplesmente Amor.


Crianças, não tentem isso em casa

Escalação inusitada, pra dizer o mínimo. Não sei bem o que esperar do ator, já que, de sua filmografia, só assisti o melô de 2003 (cujo elenco estelar contava também com o Rodrigo Santoro num vergonhoso "cigano Igor mode" imposto pelo roteiro). Com uma carreira basicamente concentrada em telefilmes e séries produzidas no Reino Unido, Lincoln terá um belo desafio pela frente.

O personagem Rick prima pela tridimensionalidade. De cidadão comum, sensato e de boa índole, ele é tragado para extremos radicais, situações-limite e para o horror da condição humana. O que ele enfrenta durante a série não encontra parâmetros para comparação, seja na mídia que for.

E nem me refiro à presença dos trilhões de zumbis. Quem acompanha a HQ sabe.


Mas o buraco é ainda mais embaixo. Rick é líder nato, luta por isso. É hiperexposto. Sua autoconfiança e imposição se fazem necessárias a todo momento, não raro se tornando a força motriz da narrativa. Em se tratando de séries, isso pode representar uma armadilha. O Jack, de Lost, começou assim e olha como está hoje. Atire a primeira pedra quem nunca teve vontade de sentar a porrada na cara do Matthew Fox.

Se considerarmos os traços físicos, a escolha de Andrew Lincoln soa ainda mais discrepante. Não se parece com o Rick nem de longe. Sempre visualizei alguém com o perfil próximo de Aaron Eckhart (o Duas-Caras) ou de Nathan Fillion (Serenity, Seres Rastejantes). Mas meu favorito para o cargo era mesmo Sam Trammell, o Sam, de True Blood. Verve e inflexão praticamente transcritas para o personagem.

Mas vamos esperar - e torcer - pelo melhor. Robert Kirkman, lógico, está pra lá de empolgado com a contratação de Lincoln:

"Andrew Lincoln, uau -- Que achado sensacional esse cara é. Escrevendo Rick Grimes mês após mês na HQ, eu não tinha ideia de que ele era de fato um ser humano, vivo e respirando, e aqui está ele. Eu não poderia estar mais emocionado em ver como o show está se aproximando".

The Walking Dead ainda conta com o ator Jon Bernthal (The Pacific), no papel de Shane, ex-parceiro de Rick na polícia.

As filmagens começam em junho, em Atlanta, com estreia prevista para outubro, no canal AMC. Roteiro, direção e produção de Frank Darabont. Que até hoje, nunca me decepcionou. Amém.

9 comentários:

Luwig disse...

O pior é que no final das contas esses azarões sempre acabam surpreendendo. E o Frank sabe das coisas... mas eu quero mesmo saber é: o que diabos fez o DAVIDSON?

Maldita #71 que ainda não deu as caras...

Marcus (Dude) disse...

Finalmente assinalou algo aqui(por mais que tenha sido breve) sobre os "Walking Dead"! Vou continuar esperando aquele comentario de mesa de bar, depois da 8 bohemia, quando um dos malucos fala: "Vocês já leram aquela merda de Walking Dead?"

Ai sim começa...

samurai disse...

Ri demais com o recado da Sun.
Por sinal em tempos nao muito distantes tinha uma resenhazinha aqui sobre lost. Morgou com a serie ?
Faço coro com vc e o luwig sobre 24h. Muito Fod@
Abracos
Alessandro

doggma disse...

Luwig, o que diabos fez o DAVIDSON, só após várias doses de conhaque pra começar a chutar. Principalmente depois do que o GOVERNADOR fez... será que a insanidade de Kirkman vai ainda mais longe que aquilo?

Dude, Bohemias a caminho! E o WD-megapost também, se eu não tombar antes.

Samurai, quem escrevia (muito) sobre Lost aqui era o Fivo, ex-colaborador. Já eu continuo assistindo a briga de Jacob com o Man in Black e seus peões, com uma ligeira sensação de decepção futura.

Junior Phinatic disse...

minha espinha gela, e meu estomago revira quando leio sobre adaptações para a tela.
O mesmo acontece no caso do The Walking Dead, quando o risco que virar um hype gigantesco e um fiasco idem é eminente.
Acho que hoje em dia a unica produtora de séries que não coloca boas histórias em sinuca de bico é a HBO, justamente por não censurar violencia, palavrões n shit.
E claro, que o vinculo comercial faz com que os personagens se desgastem ao longo de temporadas caso eles tenham que ser, como o RICK, MUTHAFUCKER BADASS !!
Talvez segure a bronca por 24 ...30 episodios, mas e além disso?
Bom eu acho que o mesmo poderia estar á acontecer com o Jack Bauer, porem, vulnerabilizaram o personagem, colocando sidekicks e mais elementos que não fiquem no DAMMIT GUY apenas.
Bom, é esperar para ver, e como sempre parabens pelo blog!

Luwig disse...

Júnior, não sei se você sabe (creio que não), mas a "AMC" (American Movie Classics) anda sendo considerada um canal "irmão" da HBO no que toca a qualidade de seus programas.

Basta conferir 'Mad Men', 'Breaking Bad' e a recente minissérie (em 6 capítulos) 'The Prisoner' pra comprovar a excelência da emissora no assunto, porque em termos de produção, roteiro e intérpretes, sendo bem sincero contigo, não consigo vislumbrar hoje* algo do gênero drama (na TV) que ao menos se assemelhe.

Os dois primeiros casos então, têm praticamente dois anônimos à frente das séries que vêm dominando a crítica especializada, inclusive as maiores premiações, que são Jon Hamm (que vive Don Draper em Mad Men) e Bryan Cranston (o Walt White de Breaking Bad). O que por sinal me dá uma certa margem de tranquilidade quanto a escolha de Andrew Lincoln pra dar caras e bocas ao Rick de TWD (e claro, se passou pelo crivo do Frank...).

Acho que a matéria prima de TWD é tão boa que irá influenciar o próprio gênero daqui pra frente, trocando em miúdos (de galinha), da telinha pras telonas.

(*) Talvez se o Tony Soprano ainda estive na ativa, aí sim, poderíamos começar a conversar.

Fivo disse...

E aí, cumpadi! Cara... ver que Walking Dead está walking para as telas na forma de série me dá uma pusta esperança de ver o mesmo com Y um dia. Assim, em série mesmo.

tsc.... tinha parado de absorver novas séries por falta de tempo (Spartacus tinha sido a última), mas não vai ter jeito. Com o fim de Lost e 24 vou ter que entrar direto em The Wire (elogiadíssima e que o Luwig esqueceu de listar, nesse Breaking Bad e no tal Prisioner, que é a primeira vez que ouço falar.

Grimm disse...

Pô meu, justamente uma das coisas que mais me incomoda em Walking Dead é a bidemensionalidade das personalidades de absolutamente todos, exceto o Rick.
O filho do Rick tb com opersonagens é um dos que acho o pior.
Mas por incrivel que pareça, como mini série de tv, eu acho que Walking Dead será melhor que no papel.

Augusto disse...

Bom, eu sempre fui um entusiasta de "cultura zombie", e nunca tinha ouvido falar de TWD... anyway, comecei a ler agora, e estou abismado com a qualidade do roteiro... Boa Dica!