quarta-feira, 22 de setembro de 2004

A VOLTA DOS QUE NÃO FORAM


Sei lá o quê dizer. Vergonhoso? Revoltante? Acho que a palavra certa é "Capitalista". O cancelamento de O Justiceiro nos cinemas brasileiros foi, de certa forma, meio previsível. A estréia do filme estava marcada para 22 de outubro, seis meses após seu lançamento nos EUA, o que já era um verdadeiro absurdo.

Analisando mais friamente, a Columbia Pictures anunciou o seu cancelamento logo após a notícia de que as vendas americanas do DVD superaram as expectativas. Em apenas 5 dias, foram vendidas 1,8 milhão de unidades de DVD e VHS de O Justiceiro. Daí é fácil deduzir que alguma estatística econômica indicou que seria mais lucrativo para a Columbia ignorar a etapa brazuca nos cinemas e lançar logo a produção no cada vez mais rentável mercado de home-vídeo.

Enfim, não teve nada a ver com o filme, nem com o número de fãs que Frank Castle tem no Brasil. Trata-se exclusivamente de dinheiro... como sempre. Aí meu amigo, não tem cor, religião ou time de futebol que nos separe.


Esse aí é outro que eu já perdi as esperanças... O remake de O Massacre da Serra Elétrica foi lançado nos EUA em outubro do ano passado, e já teve tantas datas de estréia canceladas no Brasil (a última foi 13 de agosto), que quase alcança a marca de shows cancelados pelo Tim Maia.

Lá fora, o filme foi adorado pelo público e linchado pela crítica (como todo bom gore movie), mas foi bem nas bilheterias. E nada de estrear por aqui. Segundo a Europa Filmes, "uma nova data será estudada"... Bah! Sabem o que eu vejo? Eu vejo o vigia noturno do escritório dessa distribuidora revirando os rolos de celulóide das estréias, pegando o de Massacre e indo assistir na sala reservada. Estou pensando seriamente em enviar um currículo lá pra Europa Filmes pra trampar de vigia noturno. Acho que só assim pra eu poder assistir a nova versão de Massacre.

Sinceramente, após quase um ano de espera, eu duvido muito que o Leatherface ligue a sua motosserra em terra brazilis, ou pior... que eu nunca chegue a ver a deliciosa Jessica Biel correndo por aí de camiseta molhada.

PS: Eu gosto de ir ao cinema. Gosto de assistir aos filmes lá. Não sou de baixar filmes da net, prefiro esperar um pouco. Sou um cara que tenta contribuir com esse Sistema mal-agradecido. Aos poucos, estou mudando essa mentalidade, e Shaun of the Dead (Inglaterra/2004) é o primeiro de uma série. Baixei há pouco e vos garanto: filmaço!

Fuck the System!



O ESPÍRITO HELL ANGEL DA VINGANÇA


O 1º filme do Motoqueiro Fantasma ainda tem muito o que ralar pela frente, mas já dá sinais de algo promissor. Até agora, houveram poucas mudanças na line-up da produção, o que é sempre um bom sinal.

Mark Steven Johnson, por exemplo, ainda é o diretor. Não sei se isso é lá uma boa coisa, pois seu trampo anterior, a adaptação de Demolidor, poderia ter sido um filmaço e não foi. De qualquer forma, ele terá tempo de sobra pra trabalhar o personagem.

Já o (anti) herói ainda conta com Nicolas Cage no primeiro lugar da fila, o que pra mim é uma ótima escolha. Nic sempre foi doido por um papel com "super" no prefixo. Ele até quis ser o Clark, tempos atrás. Tsc, que bobagem. Talvez o mais atormentado - e com certeza o mais faustiano - dos personagens de quadrinhos, o Motoqueiro faz um paralelo perfeito com a aura psycho-hero de Nic. É só conferir as suas atuações insanas em filmes como Coração Selvagem (do "Mágico de Oz" David Lynch) e Vivendo no Limite (do domador de outsiders Martin Scorcese). Existem boatos sobre a participação de Jon Voight também, mas nada está confirmado.

Numa recente declaração, o diretor Johnson disse que será extremamente fiel ao conceito original do personagem, e ao seu visual também (essa parte não será muito difícil, visto que a vestimenta à Judas Priest do caveirão ainda hoje é atual). Nessa mesma entrevista, ele revelou que os vilões serão Mefisto e seu bacuri, Coração Negro. Apesar do lance alto (Mefizin é um puta personagem promissor!), já estava mais do que na hora de tirarem do armário todos aqueles demônios da Marvel. É só não errarem na mão, afinal, Mefizin é presença constante nas origens e aventuras de outros super-heróis também merecedores de filmes.

O nome Mefisto deriva de Mefistófeles, e vem do hebraico Mephir ("destruidor") e Tophel ("mentiroso"). Na hierarquia infernal, ele exerce as funções de porta-voz imperial, bibliotecário chefe, enviado diplomático e um tipo de diretor de marketing do inferno. É o mais perigoso dos demônios, abaixo somente do (putz, eu já ia escrever "fodão") Lúcifer. Essas e outras informações você pode conferir nessa matéria, escrita pelo Rodrigo "Piolho".

Agora, um "momento HQ"® de leve (Cag@mba's rights reserved). Mefisto e Coração Negro Jr. tramando a discórdia e a desgraça alheia, num momento terno e familiar. Imagino que Bush pai e Bush filho também tiveram uma conversa muito parecida com essa. Clique na imagem pra ler na íntegra.


Só pra registro: O Motoqueiro Fantasma apareceu pela primeira vez em 1967, na Marvel Spotlight #05. Johnny Blaze era um dublê profissional que fez um acordo com o demônio Mefisto para salvar Craig "Crash" Simpson (também dublê e seu pai adotivo), de um câncer terminal. A barganha ocorreu sem maiores problemas, mas um belo dia, Craig morreu durante uma performance. E Mefisto estava lá pra buscar a sua alma. Johnny tentou dissuadí-lo a libertar o espírito de seu padastro, mas Mefisto lhe disse que o acordo entre eles já havia acabado. Foi aí que Roxxane Simpson (filha de Craig e atual esposa de Blaze), apareceu e lançou sobre Mefisto uma maldição que havia aprendido em um livro de ocultismo. Mefisto foi obrigado a ir embora sem a alma de Craig, mas não deixou barato: ordenou a possessão da alma de Johnny Blaze por um demônio chamado Zarathos.

O detalhe é que Blaze não perdia a sua consciência durante os "picos" de sua possessão. Ele acreditava mesmo que essa nova personalidade demoníaca era um lado obscuro de sua própria. O processo de domínio se iniciava ao pôr-do-sol, deformava totalmente a face de Blaze, e lhe conferia certas "habilidades": força nível 10, o Olhar da Penitência (capaz de fazer o inimigo sentir a dor que provocou, só que multiplicada inúmeras vezes), magia pirocinética e o poder de transformar qualquer YBR numa Kawasaki Ninja incandescente. Após um tempo, e várias aventuras, Blaze conseguiu enganar o demônio Zarathos e prendê-lo em um cristal espiritual. Mas houve um retorno, claro.

Um adolescente chamado Danny Ketch e sua irmã, Barbara, descobriram as atividades ilegais de um figurão do submundo do crime. Perseguidos por assassinos profissionais, eles fogem, mas Barbara é assassinada. Acuado, Danny se depara com uma misteriosa moto... Daí pra ele se transformar no novo Motoqueiro Fantasma foi um pulo.

Johnny Blaze até chegou a enfrentá-lo, achando que se tratava da volta de Zarathos. Feitas as explicações, os dois ficaram amigos e juntos enfrentaram a demoníaca Lillith. A saga do Motoqueiro Fantasma ainda reservou uma reviravolta digna de um dramalhão mexicano: Danny descobriu que era adotado e que Johnny é o seu irmão verdadeiro...

Estes são alguns sketchs do ilustrador Bernie Wrightson, da equipe de programação visual de Motoqueiro Fantasma. Já dá pra ter uma idéia do Nic Cage se transmutando em uma caveira infernal. Clique nas imagens.

Apesar da declaração de fidelidade (eles sempre prometem isso), o filme deverá trocar ou mudar alguma coisa. No lugar do seu padrastro, Johnny vai se sacrificar pela sua amada Roxxane, ou coisa parecida. Só espero que o lado água-com-açúcar pare por aí, pois a mitologia do Motoqueiro é sinônimo de seqüências sanguinolentas de porradaria em alta velocidade. Além do quê, não dá pra fazer um filme bonitinho com um "galã" desses...

Mas a produção ainda tem um longo caminho a percorrer, afinal, estipula-se que o filme só vai estrear no longínqüo 2006. Pode ser um puta thriller de ação/horror, ou um sub-Spawn (que já não era lá essas coisas). Ou pode até ser engavetado (que Mefisto não permita!).


GOLFINHO DE SORTE


Confesso que eu já estava de olho nela desde aquela versão nova do seriado Flipper. Depois de A Mão Assassina (e da inesquecível seqüência só de underwear...) fiquei ainda mais instigado. Agora ela é a garota do momento em se tratando de adaptações de HQs. Jessica Alba, participa atualmente de duas produções do gênero, e não são personagens baseadas em qualquer tranqueira não. Tratam-se de Susan Storm, dos bastiões do Quarteto Fantástico, e Nancy Callahan, da aclamada Sin City de Frank Miller.



Esse é Quarteto Fantástico ideal, na minha opinião... e bota "fantástico" nisso...

Sinceramente, eu não sei como ela se sairá no papel da Susan, visto que isso depende de vários outros fatores, como a abordagem diferente (Sue está bem mais jovem) e, o mais preocupante, o diretor-incógnita Tim Story. Desejo toda a sorte para o pessoal do edifício Baxter em sua estréia nas telonas. Por enquanto, um fato é inegável pra mim: Jessikita envergou muito bem aquele colantezinho azul... :P

Já em Sin City a coisa é bem diferente. Se fosse um time de futebol, ele já entraria em campo com vinte gols de vantagem, com direito a empate. Todo mundo gostou do preview, e aquele breve strip da cowgirl Jessica ficou em modo replay por um bom tempo na minha memória (e na do meu HD).


Dá-lhe Jessikita...! Alguém tem cinco reais aê pra me emprestar?! :P

E já que isso aqui tá meio zoneado, vão aí umas antigüidades: duas páginas do seminal Dicionário Marvel, e em uma delas - aproveitando o hype - a ficha de Reed Richards, a.k.a. Senhor Fantástico (além de ser o sortudo que pega a Sue).


Clique nas imagens para aumentá-las... aham...

Certa vez, a entidade Eudes/OutZ (é um conflito) publicou umas páginas dessa relíquia. Se alguém aê tiver alguma dessas, favor me enviar. Tô retomando a minha coleção após 15 anos. :P


A PAIXÃO DE MATT MURDOCK


Se um dia adaptarem essa história para o cinema (quem dera!), minha indicação para o advogado cego iria pro Jim Caviezel. Em matéria de sofrer durante um filme inteiro ele manda bem.

A edição 97 da memorável Superaventuras Marvel trazia a história Sinais Vitais (Vital Signs, publicada originalmente em Daredevil #260), com o herói da Cozinha do Inferno atravessando uma verdadeira via-crucis.

Poucas vezes houve uma desmistificação tão crua do mito do herói invencível. Em outras palavras, nunca vi um herói apanhar tanto quanto o Demolidor nessa história. Parece até o personagem de Kevin Costner, no filme Vingança, de Tony Scott (que, por acaso, assisti ontem).

A mando do Rei, a febril Mary Tyfoid arma uma senhora arapuca para o Homem Sem Medo. Acaba agrupando um considerável número de inimigos do Demolidor (Bullet, Guerrilheiro, mais alguns punks) e, juntos, detonam o vigilante. O início idílico, com Matt passando pela melhor fase de seu relacionamento com Karen Page, contrasta maravilhosamente com a descida ao inferno das páginas seguintes. Mérito do texto esperto de Ann Nocenti e dos traços cirúrgicos de John Romita Jr (ê fase boa...).

Aliás, essa dupla é responsável por uma das seqüências mais ordinárias dos quadrinhos (ainda hoje). Trata-se de uma briga do Rei com a Mary. O que eu posso dizer é que ela não termina do mesmo modo que começa. Cara... Wilson Fisk é muito, muito sinistro... :D


(scan feito por mim mesmo em 2004, então já sabe!)


Uma HQ perfeita, onde até o Johnny Storm faz bonito.

E uma dica d'O Cara dos links (90% de aproveitamento da minha parte!): o Chico desenterrou esse link aqui, que tem uma pá de HQs disponíveis, em formato original - inclusive essa aí publicada pela SAM, e todas (ou quase todas) da brilhante fase Nocenti/Romita Jr. do DD. Como tudo que é bom dura menos do que deveria, se eu fosse vocês...


dogg, que tinha mais coisa pra escrever, ao som de Feedback, EP matador do Rush que coveriza covers.

6 comentários:

rogerio disse...

Eu fui atras da hq SINAIS VITAIS ,achei otima ....mas em qual hq acontece o desfecho? Nao achei ...... vc sabe ?

Rogèrio sousa disse...

11 anos depois.......kkkkkkkk

doggma disse...

Antes tarde do que nunca, haha!!

Então, amigo Rogèrio, é o seguinte: a editora Abril nunca publicou o final de "Sinais Vitais", arco derivado da megassaga da Marvel "Inferno". Lá fora, a história começou na revista Daredevil #260 e foi até a #265.

Nessa edição #97 da SAM, apenas foi publicada a DD #260 na íntegra. O resto ficou assim:

- 21 páginas de DD #261 das 22 originais
- 8 páginas de DD #262 das 22 originais
- 3 páginas de DD #263 das 22 originais.
- e só.

Fonte: Guia dos Quadrinhos - http://www.guiadosquadrinhos.com/edicao/superaventuras-marvel-n-97/sam0301/8023

Sad but true, meu caro...

Se quiser ler esse arco na íntegra - e ele vale muuuito a pena - tem que baixar as 6 edições originais. Precisando de ajuda, dá um toque.

Abraço!

(até daqui a 11 anos? hehe)

Rogèrio sousa disse...

obrigado pela resposta,amigo! hoje q eu tô vendo!!!!! muito obrigado pela atenção!

Rogèrio sousa disse...

nossa ....que coincidencia de horários nas minhas perguntas e respostas!!!!! kkkkkkkkkkk

doggma disse...

Fala aí, Rogèrio!

Rapaz, surreal mesmo. Vou jogar isso na próxima Mega acumulada!